5 técnicas de marketing e gestão que todo empreendedor precisa saber usar

January 20, 2016

Todo mundo sabe que um dos segredos do sucesso dos empreendedores mais bem sucedidos é o marketing. Fazendo marketing, os empreendedores descobrem seu público-alvo, criam consciência de marca, entendem o mercado, moldam sua imagem para ser percebidos por seus potenciais clientes, estabelecem seu portfólio de ofertas, verificam o retorno sobre investimento etc.

Obviamente, nem todo mundo é expert em marketing. Para isso existem os profissionais especializados. Agora, ter conhecimento das principais técnicas é fundamental!

Neste artigo, você verá cinco técnicas de marketing que contribuem muito para o sucesso dos empreendedores. Acompanhe!

 

 

SWOT

Criada na década de 1960 por pesquisadores da Universidade de Stanford, a matriz SWOT é um acrônimo das palavras em inglês Strenghts (Forças), Weaknesses (Fraquezas), Opportunities (Oportunidades) e Threats (Ameaças). Na prática, é  um método utilizado para análise de forças e fraquezas internas, oportunidades e desafios externos.

 

A criação de uma matriz SWOT consiste no levantamento do maior número possível destes itens tanto para fazer uma análise interna quanto para avaliar os ambientes externos, que não estão sob domínio do empreendedor, mas que precisam ser conhecidos.

 

5 forças de Porter

Fortalecer o posicionamento e os diferenciais, este é o objetivo das 5 forças de Porter — Michael Porter, professor de Harvard. Elas foram desenvolvidas para analisar a concorrência. São cinco forças competitivas que precisam ser avaliadas com detalhamento. A partir delas surge uma estratégia empresarial eficaz, com o posicionamento perante todos os stakeholders.

Eis as 5 forças:

  • Rivalidade entre os concorrentes;

  • Poder de negociação dos clientes;

  • Poder de negociação dos fornecedores;

  • Ameaça de entrada de novos concorrentes;

  • Ameaça de produtos substitutos.

Em suma, empreendedores de sucesso são obcecados pela ideia de superar a concorrência. Para isso, estão sempre de olho no comportamento dela.  

 

LEIA TAMBÉM: Consigo tocar meu negócio de casa ou preciso de um espaço maior?

 

Matriz BCG

O portfólio de produtos ou serviços também merece um olhar estratégico. É justamente sobre ele que a matriz BCG lança luz. Ela é uma ferramenta gráfica utilizada pelos empreendedores para melhorar sua carteira de ofertas, priorizando aquelas que têm mais potencial de lucro com recursos (tempo e dinheiro) menores.

 

Os dois principais eixos da matriz BCG são a taxa de crescimento do mercado e a participação do produto/serviço neste mercado. Cada um deles é composto por dois setores, resultando em um quadrante onde são posicionados os seguintes grupos de produtos:

 

Pontos de interrogação

Aquelas ofertas que têm menor desempenho de fluxo de caixa (exigem investimentos altos e têm baixo retorno). Elas são incógnitas, podem ser melhoradas para evoluir ou, do contrário, podem se tornar dor de cabeça para o empreendedor.

 

Estrelas

São as ofertas que até exigem altos investimentos, mas geram boas receitas e têm potencial de crescimento. Elas geralmente são referências de mercado. Por mais que fiquem em equilíbrio com o fluxo de caixa, devem ser mantidas, pois têm potencial de se tornarem “vacas leiteiras”.

 

Vacas leiteiras

Como o próprio nome sugere, são as ofertas que geram altas taxas de lucro. Geralmente, são elas que suportam todo o empreendimento, pois não exigem muitos investimentos e vendem bem.

 

Abacaxis

Os abacaxis são as ofertas que trazem prejuízo, ou seja, exigem altos investimentos e não trazem os resultados esperados. Eles devem ser evitados ou, no mínimo, minimizados. Não merecem dedicação e investimento.

 

ROI

O retorno sobre o investimento (ROI) é um indicativo econômico dos negócios. Ele representa o retorno sobre o capital que foi dedicado em um projeto, em uma oferta. Pode (e deve) ser medido durante toda a vida do empreendimento.

 

Entre os propósitos do ROI, destacam-se: ajudar na decisão de novos investimentos, calcular lucros, mensurar resultados financeiros.

 

Como calcular o ROI?

Para calculá-lo, deve-se utilizar a seguinte fórmula: ROI (ganho obtido - investimento inicial) /  investimento inicial.

Por investimento inicial entenda-se todo o dinheiro gasto durante todo o processo e também o tempo despendido.

 

Balanced Scorecard (BSC)

Como empreendedor, você deve saber que avaliar os resultados de uma empresa única e exclusivamente pela dimensão financeira não é suficiente. A proposta do Balanced Scorecard é justamente esta: olhar para o negócio por meio de quatro dimensões. São elas: aprendizado e crescimento (pessoas, informações e capital organizacional), processos internos (operação, clientes, inovação etc.), clientes (qualidade, preço, função etc.) e finanças (valor aos acionistas, produtividade, receita).

 

Estas quatro dimensões são listadas no mapa estratégico, que é uma representação gráfica utilizada para demonstrar como as estratégias (planos de ação) se conectam com os processos do empreendimento.

Em suma, o BSC é uma metodologia de gestão que permite ao empreendedor transportar os objetivos estratégicos até a ação perpassando toda a organização, tanto de forma vertical quanto horizontal. Com ele, todos os indivíduos que compõem o negócio passam a ter clareza do que devem fazer para que os objetivos sejam atingidos.

 

Você já utiliza alguma destas técnicas? Gostou das dicas? Deixe um comentário!

 

 

 

Sobre a autora:

Flávia Sales é consultora na Marketita em estratégias de marketing, comunicação e vendas em mercados B2B e B2C para startups, pequenas e médias empresas e micro empreendedores.

www.marketita.comflavia@marketita.com |11 995.596.555 | Skype: flavia-sales

Please reload

Destaques

Precificação: por que não cobrar valores 'redondos' pelos serviços da sua startup?

February 12, 2016

1/5
Please reload

Recente