Marketing estratégico para atrair e reter talentos

April 28, 2015

Com o problema da escassez de profissionais, a aplicação da comunicação interna é uma forte aliada das estratégias de endomarketing e employer branding para atrair e reter talentos.

 

A atual competitividade do ambiente de negócios continua a pressionar os empregadores que buscam maior flexibilidade na estrutura de custos enquanto negociam em ciclos econômicos cada vez mais voláteis. Os líderes devem enfrentar o desafio de executar estratégias de negócio e ao mesmo tempo manter os valores e margens competitivas, em uma economia de incertezas. 

A ManpowerGroup entrevistou recentemente cerca de 40.000 empregadores em 42 países e territórios para a oitava Pesquisa Anual de talentos (2013), a fim explorar a questão da escassez de talento.

No mundo inteiro, 35% dos mais empregadores entrevistados relataram enfrentar dificuldade para preencher as vagas de trabalho devido à falta de talentos. Além disso, mais da metade dos empregadores (54%) dizem que a escassez de talentos tem afetado sua capacidade de atendimento dos clientes para um nível alto ou médio. De acordo com a pesquisa, e pelo segundo ano consecutivo, a escassez de talentos mais grave são relatados no Japão (85%) e no Brasil (68%). Quando focamos apenas Américas, a falta de talentos disponíveis com as habilidades necessárias é provavelmente o que mais desafia empregadores no Brasil (68%). 

Estamos na Era do Potencial Humano e garantir o acesso aos profissionais qualificados será fundamental para o sucesso nos negócios.

 

Gráfico: Impacto da escassez de talento na organização – Américas 

O marketing interno é uma eficaz ferramenta estratégica para apoiar organizações a obterem vantagem competitiva sustentável e, por meio da comunicação dentro do plano de endomarketing e employer branding as empresas podem consolidar sua imagem como boa empregadora, atraindo candidatos talentosos a seu quadro de funcionários e retendo seus colaboradores atuais.

Após a empresa definir suas prioridades dentro da área de Recursos Humanos (RH) é possível conduzir o plano de comunicação visando a construção e manutenção de um forte posicionamento da empresa sobre questões com os colaboradores, sua visão, missão e valores, conhecido como cultura organizacional. A estruturação deste plano deve considerar tanto os objetivos estratégicos como de marketing da empresa, e deve responder todos os pontos relacionados ao(s) público(s)-alvo, ferramentas e processos ao redor da comunicação (quem, o que, porque, como, onde, quanto e quando).

No meu entendimento, a comunicação interna da maioria das empresas não está de acordo com o posicionamento delas. Ou seja, não reflete e não evidencia sua proposta de valor para colaboradores (EVP - Employee Value Proposition (proposta de valor para o empregado)). Este é o primeiro passo para desenvolver o planejamento da comunicação, alinhando posicionamento da companhia em relação a sua imagem como empregadora na mente dos colaboradores atuais ou dos candidatos a vagas, isto é, como eles percebem a marca da empresa como empregadora.

Ademais, vale reforçar que a Comunicação visa atingir os abjetivos de Marketing da empresa, que por sua vez visa atingir os objetivos Estratégicos da empresa. Dito isto, os planos estratégicos, de marketing e de comunicação devem estar sinergicamente alinhados.

Deste modo, irei abordar nos próximos posts os aspectos de Posicionamento, Proposta de Valor e Marca/Branding aplicando ao contexto de Endomarketing, Comunicação Interna e Employer Brading para ajudar as organizações a tornarem suas áreas de marketing mais estratégicas.

 

 

 

 

Sobre a autora:

Flávia Sales é consultora em estratégias de marketing, comunicação e vendas em mercados B2B e B2C.

www.flaviasales.com | mkt@flaviasales.com | 11 995.596.555

 

 

 

 

 

 

 

Please reload

Destaques

Precificação: por que não cobrar valores 'redondos' pelos serviços da sua startup?

February 12, 2016

1/5
Please reload

Recente